Fazer História e Ouvir: Ações que Caminham Juntas

Bem-vindos de volta! Hoje traremos uma nova abordagem à arte de ouvir, passando pela história. Desculpem-nos pela qualidade do áudio e aproveitem o conteúdo.

 

O que a ação de ouvir tem a ver com a história da humanidade? Bom, todos sabem que, sozinho, o homem não faz nada. Foi preciso ouvir e ser ouvido para, por exemplo, migrar de um lugar a outro, descobrir qual a melhor época para o plantio, colheita e quais seriam as melhores estratégias de caça. Se cada um do grupo tivesse uma experiência positiva e não contasse aos demais, como poderíamos ter chego onde estamos hoje? A própria existência de um órgão cuja função é interceptar ondas sonoras e transformá-las em dados já é um sinal que ele não está no corpo humano por acaso.

As questões mudaram ao longo do tempo.  Hoje, discute-se, por exemplo, como tomar atitudes que equilibrem interesses opostos, como agir em situações extremas, firmar parcerias.  Todos têm o seu próprio modo de ver o mundo, mas muito dificilmente ele não terá nada em comum com o de alguém próximo. Imagine se as pessoas só agissem segundo os seus interesses?

Imagine se Nelson Mandela, quando foi eleito presidente em 1994, pensasse em fazer justiça a tudo que sofreu e instituísse um apartheid que segregaria os brancos? O futuro da África do Sul estaria fadado ao fracasso. Ao invés disso, Mandela soube amenizar todos os confrontos (não só entre brancos e negros como também entre tribos rivais) por meio de uma política pacificadora, que entendia a complexidade das relações e conseguia achar soluções que atendessem a todos. Mandela deixou de lado seus traumas e opiniões para ouvir alguém até então inimigo.

Não são somente os ouvidos de grandes figuras que fazem história. Todos nós construímos a nossa própria história, que fica ainda mais enriquecida quando formada por lembranças, conceitos que foram aprimorados ou aconselhados por outros. Não é uma tarefa fácil: temos que deixar de lado nossos preconceitos e conciliar nossas crenças e opiniões as dos outros, mas o resultado será sempre um aprendizado valioso. O homem terá sempre questões a discutir, pontos de vista que quer expor, basta existir alguém que saiba ouvir.

Gabriela Hopf

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s